Dallas Cowboys lidera a NFL em jogadores que vão para COVID, e Amari Cooper pode sair de novo

Enquanto os Dallas Cowboys , que perderam dois jogos consecutivos e três dos últimos quatro, esperam sacudir a queda na noite de quinta-feira em Nova Orleans, eles permanecem nas garras da pandemia de COVID-19, que ainda está causando estragos dentro da organização com um número alto da NFL.

Segurança do novato Nahshon Wright testou positivo para o vírus na terça-feira e ele não jogará contra o Saints. A equipe agora tem nove jogadores ou membros da equipe atualmente sob os protocolos COVID-19 , liderados pelo técnico Mike McCarthy.

Também eleva para nove o número de jogadores que perderão um jogo em 2021 devido ao COVID-19, que é o maior número da NFL.

Os Minnesota Vikings tiveram 10 jogadores na lista COVID-19 desde o início de novembro, mas eles tiveram apenas oito jogadores perdidos nesta temporada. Devem empatar os Cowboys às 9 no domingo.

Em relação ao total de jogos perdidos devido ao COVID-19, os Vikings lideram com 14, os Arizona Cardinals são os próximos com 12, e os Cowboys estão em 10, de acordo com Howard Balzer da Sports Illustrated , que manteve um total contínuo desde o início da temporada.

Tornando o desafio ainda mais frustrante para os Cowboys é aquele receptor Amari Cooper , que é um dos dois jogadores não vacinados na equipe e que perdeu os últimos dois jogos com COVID-19, pode não estar disponível para o jogo de quinta-feira contra o Santos, como esperado.

McCarthy disse que Cooper ainda está com tosse e a equipe vai ser cautelosa. Não treinou segunda nem terça e se não treinar na quarta não jogará contra o Santos.

Mesmo que jogue, estará limitado por falta de condicionamento depois de tanto tempo perdido.

McCarthy disse que a situação dos Cowboys deixa claro a importância da vacinação para os Cowboys e a comunidade.

“Obviamente, entendemos a obrigação profissional de compromisso com o que estamos tentando fazer como um time de futebol e acho que isso é uma das coisas que fazem parte desse compromisso”, disse McCarthy. “É um foco de saúde. Acredite em mim, você não quer que isso se lembre de como a saúde pessoal é importante. A vacinação é obviamente um grande componente nisso, tanto como sociedade quanto como time de futebol tentando continuar a crescer e superar isso.

Acho que nosso pessoal faz um bom trabalho com os protocolos mas o que estamos passando agora é que, quando chegar ao seu prédio, é um desafio. E essa é a luta que estamos fazendo. ”

Essa luta inclui seis treinadores e três jogadores que a partir de agora não farão a viagem para New Orleans, incluindo McCarthy; Wright; enfrentar Terence Steele; o técnico de linha ofensiva Joe Philbin; o assistente técnico da linha ofensiva Jeff Blasko; o assistente técnico ofensivo Scott Tolzien; e os treinadores de força e condicionamento Harold Nash, Cedric Smith e Kendall Smith.

Cedric Smith tem a chance de sair da lista na quinta-feira.

O Os Cowboys começaram a intensificar seus protocolos COVID-19 na semana passada com o aumento dos requisitos de máscara entre a equipe e os jogadores. Estão realizando reuniões virtualmente.

E fecharam a sala de musculação com força total e equipe de condicionamento não disponível.

Os jogadores tiveram que trabalhar por conta própria.

“Sentimos com a situação do COVID que estávamos, que era um espaço que colocaria a galera em maior risco, então decidimos fechá-lo, McCarthy disse.

McCarthy, que teve apenas uma garganta arranhada na segunda-feira, disse que estava tendo mais sintomas de resfriado na terça-feira. Ele continua chocado com seu teste positivo por causa de toda a diligência que fez para estar seguro.

Na verdade, ele estava programado para receber sua injeção de reforço COVID-19 na sexta-feira.

Os Cowboys já tiveram um total de 15 jogadores e funcionários no protocolo COVID-19 nas últimas três semanas, incluindo o treinador de running backs Skip Peete; kicker Greg Zuerlein; receptor Amari Cooper; o tight end Blake Jarwin (reserva lesionado); e os recebedores Robert Foster (equipe de treino) e TJ Vasher (reserva / lesão não relacionada ao futebol).

O aumento de testes positivos entre os Cowboys é parte de uma tendência ampla da liga no mês de novembro. Houve 74 testes positivos nos últimos 30 dias em comparação com 24 em outubro.

O proprietário Jerry Jones disse que os Cowboys tiveram uma boa pontuação nas avaliações de toda a liga sobre como cada equipe está lidando com o pandemia.

“Estamos muito orgulhosos das notas que obtemos”, disse Jones. “Estou muito confiante quanto à nossa capacidade de realmente ter um protocolo que limite um surto ou limite o COVID que afeta a equipe. Acho que somos um dos melhores. Isso certamente foi um revés. Quando todos nós nos afastamos disso, este COVID não tem preferência quanto a quão intensa é sua proteção, eu não acho. Mas eu acho – mas eu acredito que você deveria ser vacinado. ”

Jones disse que os Cowboys agora estão“ totalmente vacinados pelo natural de terem sido vacinados. Estamos 100% – tendo sido vacinados ou tendo obtido o COVID. ”

Cooper e o linebacker Keanu Neal são os únicos jogadores não vacinados na equipe. Ambos contraíram COVID-19.

De acordo com os protocolos da NFL, jogadores não vacinados com resultado positivo e inocente não serão testados diariamente novamente por 90 dias. Eles ainda estão sujeitos a triagem diária de sintomas e testes semanais.

Os nove jogadores dos Cowboys que perderam pelo menos um jogo nesta temporada com COVID-19 são: Wright; Steele; Tanoeiro; Zuerlein; linebacker Keanu Neal; defensiva termina Bradlee Anae e Randy Gregory; e os guardas Brandon Knight e Zack Martin. Knight não está mais com a equipe.

Fonte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *