'SNL' enfrenta (desculpe) o escândalo da NFL Jon Gruden em Cold Open (vídeo)

Tem sido uma semana e tanto para vocês que estão prestando atenção na atualidade, principalmente nos esportes. Portanto, não será surpresa para você saber que, para o frio aberto no último episódio de “Saturday Night Live,” o programa abordou o último escândalo da NFL.

Você se lembra: Um bando de racistas , e-mails homofóbicos e sexistas enviados pelo técnico do Las Vegas Raiders, Jon Gruden, foram divulgados e ele foi forçado a renunciar . Por causa de toda a homofobia racista e sexista? Legal.

A piada começou com Cecily Strong jogando “prefere permanecer anônima”, a pessoa que lida com RP para a NFL. Ela então apresentou o comissário da NFL Roger Godell, interpretado por Colin Jost. Jost publicou muitos dos maiores sucessos do escândalo Gruden, que obviamente incluía muitos insultos dirigidos a ele.

Em seguida, James Austin Johnson contratou Gruden, seguido por James Moffat como Mark Davis, dono do Las Vegas Raiders. Pete Davidson apareceu por um breve momento, assim como Heidi Gardner, que atuou como representante do Washington Football Team para apresentar o novo mascote do time – um estereótipo italiano interpretado por Kyle Mooney.

Shazam Fury of the Gods

E, finalmente, Chris Redd saiu como Chris Kaepernick, que apontou que ele foi demitido por denunciar o racismo, levando Godell a voltar e anunciar que LeVar Burton (interpretado por Kenan Thompson) era o novo treinador dos Raiders. Claro que ele fez uma paródia de “Reading Rainbow”, mas sobre ser treinador de futebol.

No geral foi divertido, não exatamente desdentado, mas certamente poderia ter acertado um pouco mais forte do que apenas atropelar os maiores sucessos do escândalo. Ainda assim, pelo menos o subtexto – a NFL é uma organização de lixo com problemas profundamente enraizados – era inequívoco.

Assista a um trecho do esboço “SNL” aberto no topo da página.

E embora o presidente Joe Biden não tenha sido parodiado, eu poderia muito bem lembrar aos nossos leitores que no início desta temporada, “SNL” finalmente pousou no que certamente parece ser o Joe Biden permanente do programa: o novo jogador James Austin Johnson, que interpretou POTUS na estreia da temporada. Antes de seu emprego atual, Johnson alcançou a fama por sua estranha impressão de Trump e descobriu-se que ele também dá um ótimo Biden, definitivamente um grande avanço em relação à loucura redutora (e não realmente entendido) de Jim Carrey durante o outono de 2020. E sua impressão foi muito mais precisa do que Alex Moffat, que interveio algumas vezes na primavera de 2021, quando o programa precisava de um Biden.

Não que o programa necessariamente precise de um aparelho permanente Biden considerando como raramente se incomoda em parodiar Joe Biden. Isso vem em forte contraste com os anos de Trump, quando muitas vezes parecia que Alec Baldwin era um membro do elenco do “SNL” em tudo, menos no nome. Por outro lado, Biden não tem o hábito de dizer ou fazer coisas horríveis que assustam todo mundo. Até agora, pelo menos, só para tirar um exemplo da cartola, Biden não defendeu os supremacistas brancos depois que um deles assassinou alguém. Há menos material, é o que estou chegando aqui.

Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *