Promotores franceses abrem inquérito contra governador de banco libanês – AFP – Reuters

Riad Salameh, governador do Banco Central do Líbano, participa do Fórum de Investimento Emirados Árabes Unidos-Líbano em Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos, 7 de outubro de 2019. REUTERS / Satish Kumar / Foto do arquivo

Os promotores franceses abriram uma investigação preliminar sobre alegações de lavagem de dinheiro contra o governador do banco central do Líbano, informou a Agence France-Presse no domingo.

Riad Salameh está sob investigação em relação a possível conspiração e dinheiro organizado – denúncias, disse a AFP, citando uma fonte com conhecimento do caso.

O advogado francês de Salameh, Pierre-Olivier Sur, considerou as acusações uma “operação de comunicação” politicamente motivada em um comunicado enviado a Reuters pelo governador do banco no domingo.

Respondendo no mês passado à queixa legal contra ele pelo grupo anticorrupção Sherpa, Salameh disse que havia demonstrado que sua fortuna havia sido adquirida antes ele assumiu seu posto no banco em 1993. leia mais

Os franceses barbatana o Ministério Público não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Sherpa apresentou a queixa contra Salameh em abril, citando investimentos que incluíam milhões de euros em bens.

O Líbano abriu sua própria investigação em abril, após um pedido legal suíço alegando que mais de US $ 300 milhões haviam sido desviados do banco central por meio de uma empresa de propriedade do irmão de Salameh. leia mais

Salameh tinha nenhum comentário, no momento, quando questionado pela Reuters sobre a abertura daquela investigação e ações relacionadas a ela, incluindo o sigilo do escritório de seu irmão e o confisco de arquivos.

A elite financeira e política do Líbano há muito tempo está sob escrutínio sobre alegações de má gestão, corrupção e obstrução de esforços para desbloquear a ajuda internacional.

Nossos padrões: The Thomson Reuters Trust Principles.

Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *